Águida Hettwer Poesia & Art
Deixarei meu verso, tatuado em seu peito...
CapaCapa
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Textos


Antes dos quarenta...
                              Águida Hettwer
 
Ainda que na vida o tempo passe impune,
E a minha autenticidade não se julgue
O desejo esteja latente no olhar
Que eu não seja a soma exata de um mais um.
 
Não me repita nos erros meus ou alheios
Muito menos que um amontoado de utopias
A ação não seja um limite, que saiba dar lugar
Ao silêncio, a pausa, a reflexão e a responsabilidade.
 
Não seja apenas um colecionador de sonhos frustrados
E não tenha um estilo próprio inabalável, possa sim,
Moldar-me entre tantas circunstâncias que a vida exige
Na flexibilidade que acentua o livre viver.
 
Que eu não conte vantagens das quais não sustente
E não me filie àqueles que tudo consente passivamente
Possa amadurecer sem violentar a criança que vive no olhar,
Ainda que morra, possa me eternizar nos versos que fiz.
 
                       30/03/2013
 
 
 
 
 
Águida Hettwer
Enviado por Águida Hettwer em 30/03/2013
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários