Águida Hettwer Poesia & Art
Deixarei meu verso, tatuado em seu peito...
CapaCapa
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Textos


      

    Não tenho medo dos inimigos declarados
. Tenho medo de tudo que me trave o riso e respondam por mim, e repreenda  o direito de ter meus silêncios e calar-me quando me for confortável. Tenho medo de não ser confrontada para nenhum desafio, de cultuar as mesmas ideias anos a fio. De ser um livro aberto, sem nenhum mistério a desvendar, de viver  na mesma moda igualitária, regrada pela mídia. Ai! Eu tenho tanto medo, de não me apaixonar por uma causa, feito criança deslumbrada com o brinquedo novo. Ah! Que medo que dá de viver no comodismo, de emoções vazias, de perder o encanto do olhar, de não ter nenhuma travessura para contar. Tenho medo de ser apenas um corpo, pelo mundo a vagar...
 
                                        Ai! Que medo que dá.
 
                                                           Águida Hettwer


                                         22/01/2013
Águida Hettwer
Enviado por Águida Hettwer em 22/01/2013
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários