Águida Hettwer Poesia & Art
Deixarei meu verso, tatuado em seu peito...
CapaCapa
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Textos


Tanatos
 
 
Eis que veio sem avisar, sem ao menos um sinal
Calando-me, emudecido em tempestuoso silêncio
Abafando risos, adormecendo sonhos, vítima real
Os dias se transformaram em trevas, dor e ócio.
 
A gênese funesta da espécie, a boca renega
Onde assisto a própria vida se esvaindo,
Em terras eruditas afundam piegas
Nas cordas da lira, o gemido consumindo.
 
A alma faminta por vida encontra desolação!
Ave em tímido voo, em uma arvore se enrodilha,
Salve o viço, a mocidade, o instante devora a emoção
Na tarde ensolarada que se finda.
 
Sou prata envelhecida pelo tempo,
Menina moça em plena evolução,
É o meu fim! Em cantos gregorianos,
Uniram-me as mãos.
 
 
                                           Águida Hettwer
 
                                                        18/08/2012
 
Águida Hettwer
Enviado por Águida Hettwer em 18/08/2012
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários