Águida Hettwer Poesia & Art
Deixarei meu verso, tatuado em seu peito...
CapaCapa
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Áudios

Na ranhura do tempo
Data: 03/10/2008
Créditos:
Texto e narração poética: Águida Hettwer
Ano 2008
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Na ranhura do tempo
Águida Hettwer
 
 
Quebra-se o silêncio maciço,
Ecoam vozes que um dia sorriam
Sopram lembranças fazendo reboliço,
E hoje na distância choram.
 
 
Desnudam os anseios em palavras
Sílabas de carmim costuram no linho,
Ainda que em minha boca aparas,
Embriagam mais que o vinho.
 
 
Sob o pomar do passado afã,
Nos versos que te fiz nas madrugadas,
Colhi perfumadas romãs.
 
 
Retirou-me da ranhura do tempo
As algemas em punho,
Dando-me teu amor por testemunho.
 
 
 
03.10.2008
 
 
Enviado por Águida Hettwer em 03/10/2008

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.



Comentários